10 cuidados essenciais ao coração

Vigie a sua saúde e siga os conselhos do especialista.

 

Texto: Pedro Matos (Cardiologista da APDP)

In revista Diabetes Viver em Equilíbrio, Ed. 72

 

  1. Controle o colesterol

Faça análises regulares e aconselhe-se com o seu médico sobre os valores ideais para si. Adote um estilo de vida adequado. O médico poderá prescrever fármacos. As estatinas são as mais usadas na prática clínica e reduzem os níveis do “mau colesterol” (LDL). Outras frações lipídicas como o “bom colesterol” (HDL) ou os triglicéridos são mais controversas na diminuição do enfarte e do AVC, embora contribuam para o risco cardiovascular global.

 

  1. Vigie a tensão arterial

Para controlar a tensão arterial dentro dos valores recomendados é preciso quase sempre usar vários fármacos, complementando com uma dieta cuidada e exercício físico regular. Nos doentes mais idosos e com maior duração de diabetes devem evitar-se valores excessivamente baixos. Há grupos de fármacos mais indicados na diabetes, que são igualmente protetores do rim. Faça um autocontrolo no seu dia a dia. Só assim podemos trata-lo da melhor forma e selecionar os medicamentos adequados.

 

  1. Previna o excesso de peso

A obesidade é, ao lado da diabetes, um flagelo das sociedades modernas. Os obesos têm risco acrescido de doença cardiovascular, por muitas vezes terem outros fatores de risco clássicos e síndroma metabólico associados. A relação de risco está, porém, menos consolidada na literatura e o impacto do controlo do peso na redução dos eventos cardiovasculares é mais controverso.

 

  1. Faça exercício regular

O exercício físico regular é uma das regras base da vida saudável. Por isso deve encontrar forma de o praticar regularmente. Como potencial efeito de proteção cardiovascular, deve fazer pelo menos 150 minutos por semana, divididos por cinco dias (30 minutos por dia). Escolha a modalidade que mais lhe agrada.

 

  1. Reduza a ingestão de sal

Temos uma alimentação excessivamente rica em sal, o que nem sempre é reconhecido pela população. Há uns anos atrás o nosso pão tinha o dobro do sal dos restantes países da Europa, pelo que se produziu uma lei no sentido de reduzir estes teores. O excesso de sal é uma das principais causas de controlo inadequado da hipertensão arterial e, por arrasto, das elevadas taxas de AVC que se registam no nosso país.

 

  1. Controle a glicemia de forma individualizada

O controlo da glicemia tem menos peso para a redução dos ataques cardíacos do que para outras complicações da diabetes como a retinopatia ou a doença renal. Mas existe uma relação clara entre os níveis de glicemia e o risco cardiovascular, quer para os valores muito altos, quer para as hipoglicemias. O controlo excessivo da glicemia nos doentes mais idosos, com maior duração de diabetes, complicações várias ou história de doença cardíaca, pode ser prejudicial. Os objetivos de controlo devem ser individualizados. Mais exigentes nos jovens e de diagnóstico recente, mais liberais nos restantes. O autocontrolo faz parte da educação terapêutica na diabetes. Não deixe de o fazer sob orientação do seu médico.

 

  1. Siga uma alimentação saudável

Ninguém duvida dos benefícios de ter uma alimentação saudável. Existem poucas evidências que documentem uma associação entre alimentação e redução de ataques cardíacos. No entanto, o consumo de gorduras saturadas, alimentos ricos em colesterol e com excesso de sal, uso excessivo de fritos, contribui de forma indiscutível para o agravamento dos fatores de risco major, a obesidade e um mau controlo da diabetes. Consulte o seu médico ou um nutricionista ligado à diabetes.

 

  1. Deixe de fumar

Fumar é um dos maiores malefícios para a saúde. Todas as pessoas o sabem. Na diabetes é uma associação ainda mais indesejada, face ao excesso de risco cardiovascular nas pessoas com diabetes. Não fume. Escolha outra companhia para os momentos mais difíceis. Fumar quatro ou cinco cigarros por dia não é uma alternativa a deixar de fumar. Procure apoio de um profissional de saúde especializado para o aconselhar na melhor forma de abandonar o tabaco.

 

  1. Proteja o seu rim

A doença renal é uma das manifestações tardias da diabetes. Como complicação microvascular depende muito da eficácia do controlo glicémico e também da tensão arterial. A presença de disfunção renal aumenta de forma significativa o risco de eventos cardiovasculares e a progressão de doença arterial nos diferentes territórios. Por isso, proteja o seu rim. Controle bem a diabetes e a tensão arterial. Use fármacos que ajudem nesta proteção e diminuam a evolução para fases terminais da doença.

 

  1. Beba com moderação

Muito se tem falado na proteção cardiovascular de certas bebidas alcoólicas, como o vinho tinto. No entanto, qualquer eventual benefício será apenas para ingestões pequenas ou moderadas destas substâncias. Não beba em excesso porque isso é prejudicial à saúde. Não beba destilados como o whisky ou o gin. Aconselhe-se com o seu médico sobre as quantidades e o tipo de bebida alcoólica que poderá consumir.

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!