Diabetes no Bairro: projeto da APDP leva rastreios e ações de formação a bairros de Lisboa

Três bairros de Lisboa vão contar com o apoio da Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal – APDP, para a prevenção e tratamento da diabetes através do projeto de intervenção “Diabetes no Bairro”. O projeto resulta de um protocolo estabelecido com o Departamento de Habitação e Desenvolvimento Local da Câmara Municipal de Lisboa no âmbito do programa Bip Zip, juntamente com organizações de saúde e estruturas locais, para uma abordagem completa e integrada junto da comunidade.

21 de outubro de 2019

 

Nos bairros Horizonte, Alto da Eira e Quinta do Lavrado, na freguesia da Penha de França, serão realizados rastreios e identificados grupos em risco acrescido de desenvolver diabetes tipo 2. Além disso, o projeto “Diabetes no Bairro” conta com ações de formação destinadas a equipas escolares e cuidadores formais e informais, com o objetivo de promover a literacia em saúde e a capacitação das pessoas com diabetes e pré-diabetes, dos seus familiares e respetivos cuidadores, através de uma estratégia de intervenção comunitária. Serão ainda realizadas formações em cuidados preventivos ao pé e organizados treinos da modalidade sweet-football.

“A diabetes, um dos maiores problemas de saúde pública, está associada a fatores socioeconómicos e, em Portugal, as desigualdades socioeconómicas na prevenção da diabetes estão essencialmente relacionadas com o baixo rendimento e a baixa escolaridade. Tendo em conta esta realidade, o projeto Diabetes no Bairro tem como objetivo prevenir a diabetes tipo 2 junto das populações que têm um risco mais elevado de a desenvolver e garantir a melhoria da qualidade de vida daqueles que já vivem com a doença, através de uma abordagem de proximidade”, explica o presidente da APDP, José Manuel Boavida.

O protocolo que marca o arranque da implementação do “Diabetes no Bairro” foi assinado no dia 11 de outubro. Este projeto resulta de uma parceria entre a APDP e a Junta de Freguesia da Penha de França, a Associação Ares do Pinhal, o Centro Social e Paroquial da Penha de França, o Centro Social e Paroquial São João Evangelista e a Associação Médicos do Mundo, em articulação com o ACES Lisboa Central, Gebalis e Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

“Com a promoção de ações de rastreio que possibilitem o diagnóstico precoce da diabetes estamos a capacitar as pessoas e a educá-las para a prevenção da diabetes e, desta forma, conseguimos evitar a sua progressão ou retardar o surgimento das complicações que lhe estão associadas”, conclui José Manuel Boavida.

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password

Portal da Diabetes