O que mais precisamos fazer para chamar a sua atenção para a diabetes?


José Manuel Boavida*

14 de novembro de 2019

 

Muito se fala hoje na diabetes. As estatísticas publicadas pelo Observatório Nacional da Diabetes e pela Federação Internacional da Diabetes relatam a ascensão de uma epidemia que atinge cada vez mais pessoas e cada vez mais precocemente.

A diabetes é como um incêndio descontrolado que arrasa este país e o mundo. Em Portugal, os números são alarmantes, pois todos os dias cerca de 200 pessoas ficam a saber que têm diabetes, 22 pessoas com diabetes têm um AVC, 3 a 4 pessoas sofrem uma amputação, 12 pessoas morrem por diabetes, cerca de 500 pessoas com diabetes são internadas e 5 pessoas saem de internamentos motivados por pé diabético.

Todavia, a diabetes é uma doença que continua a ter pouca atenção por parte das próprias pessoas que a têm e a conhecem, dos profissionais de saúde, da comunidade e dos decisores políticos. É uma doença silenciosa e silenciada, pois não tem a mesma atenção e impacto na sociedade que outras doenças como o VIH ou a tuberculose, que, em conjunto, matam cerca de 3 milhões de pessoas por ano em todo o mundo. Só a diabetes mata 5 milhões de pessoas por ano no mundo, segundo dados da Federação Internacional da Diabetes.

Posto isto, o que mais precisamos fazer para chamar a atenção para a diabetes? Porque é que os números continuam a aumentar? Qual a eficácia das campanhas de sensibilização que todos os anos se lançam em novembro? Sensibilizar só em novembro, como uma nota de calendário, é manifestamente insuficiente. Há mais 11 meses além de novembro e mais 364 dias além do dia 14. Estamos a 2 anos das comemorações dos 100 anos da descoberta da insulina e é uma boa altura para começarmos a dar mais e melhor atenção à diabetes para que esta doença ganhe impacto na sociedade.

Temos de saber defender e exigir tratamentos melhores e mais em conta, mais prevenção da doença e das suas complicações, mais exames periódicos aos olhos, mais educação, maior apoio aos cuidadores, uma vida com mais qualidade e mais longa, menos amputações, menos úlceras do pé, menos enfartes em adultos jovens, menos insuficiência renal… Estes são alguns dos muitos desafios que se colocam hoje na luta contra a diabetes.

 

*Presidente da APDP – Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!